Coronavírus - COVID-19 Saiba mais

Não entre em pânico a Prevenção é a melhor solução.


Um novo vírus que ataca o sistema respiratório e se espalhou a partir da região de Wuhan, na China, foi classificado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como emergência internacional. Ele pertence à família dos coronavírus, um grupo que reúne desde agentes infecciosos que provocam sintomas de resfriado até outros com manifestações mais graves, como os causadores da Sars (sigla em inglês para Síndrome Respiratória Aguda Grave) e da Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio).


O que o novo coronavírus faz e quais seus sintomas?

Pesquisadores e autoridades de saúde estão mobilizados em entender melhor o comportamento desse agente infeccioso e evitar sua disseminação geral. Além do alerta da OMS, o Brasil e outras nações deram início a um plano de vigilância e contenção de casos suspeitos — o primeiro caso por aqui foi confirmado no dia 26 de fevereiro.

Mas falamos de um vírus perigoso? O número de vítimas na China fez soar o alerta, sobretudo para o risco de pneumonia e insuficiência respiratória em pessoas mais velhas e que já tenham outras doenças.

“O novo coronavírus causa, em geral, sintomas respiratórios mais leves que os da Sars e da Mers e os sinais clínicos mais referidos são febre e tosse. Até o momento, a letalidade também é menor que a associada a Sars e Mers“, relata Lígia. Um estudo com uma família infectada pelo novo coronavírus sugere que é possível que ele permaneça no corpo sem manifestar sintomas. Isso dificultaria o controle, uma vez que esse agente infeccioso poderia ser transmitido por pessoas aparentemente saudáveis.


Como se proteger e prevenir?

Para os brasileiros, cabe frisar: a maioria dos casos da doença tem relação direta com os territórios chineses acometidos, que inclusive foram isolados. Alemanha, Japão e Vietnã foram as primeiras nações além da China a apresentar casos autóctones — ou seja, transmitidos dentro dos próprios países.

“Pessoas que apresentam sintomas respiratórios e não tenham passagem por essas áreas de circulação do vírus nem contato com casos suspeitos ou confirmados não precisam se preocupar”, tranquiliza Lígia.

A primeira medida de prevenção é evitar viajar a Wuhan e região, bem como a cidades que possam vir a alojar surtos. Se inevitável, os médicos Elie Fiss e Celso Granato aconselham algumas medidas básicas de proteção, que inclusive se aplicam a outros agentes infecciosos transmitidos pelo ar e por gotículas de saliva:

  • Evite aglomerações e contato próximo com outras pessoas;

  • Cubra o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar (e descarte o material em local adequado);

  • Lave as mãos a cada duas horas e principalmente após passar por estabelecimentos ou transportes públicos;

  • Procure não tocar olhos, nariz e boca;

  • Não compartilhe copos, toalhas e objetos de uso pessoal.

  • Para toda e qualquer situação mantenha os protocolos básicos de higiene.

Imagens: Google- OPAS-OMS.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon

Rua Antônio Ribeiro Mendes, 2129 

Santa Catarina, Caxias do Sul - RS

95032-600

Tel: (54) 3066-1818

Transformando sonhos em obras de arte...

Todos os direitos reservados a Solus Incorporadora Ltda

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon